Publicado por: Mr. T | outubro 17, 2008

o inimigo se revela | episódio #3

Definitivamente os humanos não conhecem absolutamente nada sobre a minha raça.
É claro que eu não conseguiria utilizar meu fey step, teleporte para longe daquela taverna.
O máximo que conseguí foi me esconder atrás do balcão, e nenhum dos guardas teve a brilhante idéia de vasculhar por alí.

Eu imaginei que a senhorita Burork não poderia compreender meus motivos, para ela, deveríamos ficar e lutar, quem sabe, até a morte.
Por sorte dela, até mesmo Rutger conseguiu de alguma forma sair daquele lugar, enfim, Burork teria alguma chance se não reagisse.

Surgem Lorde Dubric em pessoa, acompanhado de Rond Kelfen, o comandante da milícia, o mesmo que ludbriou e enfeitiçou Jelly Burork para que ela contasse toda a sua “missão secreta”.

Rond Kelfen

Kelfen segurando uma estatueta negra da deusa malígna Shar, aponta para Burork e dá ordem de prisão. Inutilmente, Burork tenta argumentar do modo mais agressivo que sua parca educação pode proporcionar, em vão. Claro.
Kelfen estava irredutível, sua veemência em acusar que a estatueta caíra dos pertences de Burork enquanto esta se exibia lutava, era surpreendente.
Burork foi desarmada pelos guardas e cercada por lanças. Cada guarda no pequeno círculos de lanças que a cercava tentava esconder o medo daquela mulher com um semblante de raiva. Inútil, estava estampado na cara deles “não podemos com ela, matá-la seria mais seguro”.

Lorde Dubric passou a ordem, Burork seria levada para a prisão e seria interrogada -com uso de tortura, se necessário- naquela noite.
Fiquei espantado com a atitude dele. Eu já estava achando estranho uma cidade aparentemente pacata ter muros tão altos e duas representações militares, a Guarda e a Milícia.
Agora, tortura?
Seria apenas medo de Lorde Dubric ou ele era mesmo mais do que aparenteva ser?

Do lado de fora da taverna, nova discussão entre os guardas e Burork.
Ela tentava resistir, não acho que já tenha se rendido alguma vez na vida…
Enquanto procurava um novo esconderijo melhor posicionado para ver a partida deles, surgem do nada Lady Arytanna e Irmã Linora, para o espanto até mesmo de Lorde Dubric.
Pensei em denunciar minha presença, nesse momento, mas imaginei que mais informação numa discussão daquelas não iria trazer benefício algum.

Com Irmã Linora ao seu lado, Lady Aritanna obteve a atenção de Lorde Dubric.
Ela explicou que Burork estava com ela exatamante investigando o possível culto a Shar na cidade, a pedido de Irmã Lenora.
Dubric disconfiou e Kelfen quase passou mal de ódio. Ele não poderia mais continuar com aquilo, se não quisesse se entregar. A presença de uma Paladina costuma causar certo receio em algumas pessoas.

A contra-gosto, Lorde Dubric setenciou que Jelly Burork estaria aos cuidados de Lady Arytanna, e esta teria 7 dias para encontrar os verdadeiros seguidores de Shar, caso contrário, Burork seria presa.
A milícia e Kelfen debandam pisando duro.
E como numa história cafona de anões, assim que Lorde Dubric se distancia surge entre as casas de Winterhaven a elfa Nadine com um semblante muito preocupado.

Ela diz rapidamente que encontraram o templo do culto secreto e que Marisol e Kalyan ficaram lá para preservar e investigar o local.
Pude, enfim, sair de meu pequeno esconderijo. Ao me ver saindo de dentro da taverna, Burork conseguiu ter o raciocínio necessário para perceber que eu presenciara toda a confusão, e ainda teve a chance de desferir algumas ofensas contra minha pessoa antes que partíssemos atrás de Nadine que já estava a alguns passos à frente.
Abstraí a respeito dos comentarios pouco educados de Burork, como disse, não imaginei que ela pudesse mesmo entender minha atitude, ainda que se necessário, eu estivesse em plenas condições de apoiá-la com meu poder arcano.

Tive um bom pressentimento sobre este templo, ele pode ter muito mais além de informação sobre estes cultistas. E um mal sobre o não retorno de Rutger. Imaginei que, como eu, ele estaria por perto.
Poderia algo ter ocorrido a este meio-demônio em uma cidade tradicionalista como essa?

Anúncios

Responses

  1. Se você fugiu para detrás do balcão, imagino que o Rutger tenho corrido para o banheiro… ou pra dentro da lareira… hehehe!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: